Microsoft realiza testes para armazenamento de dados em moléculas de DNA

Em parceria com a startup de biotecnologia Twist, a Microsoft encomendou aproximadamente dez trilhões de sequencias de DNA para realizar testes de armazenamento. Tais moléculas apresentam uma capacidade de armazenamento aproximado de 1 Zettabyte de dados, ou cerca de 1 trilhão de Gigabytes em apenas um grama.

Podendo armazenar estes dados por milhões de anos, testes preliminares apresentaram 100% de efetividade na gravação e recuperação de arquivos em moléculas de DNA. Para a gravação dos dados, os arquivos binários precisam ser convertidos para a base que compõe o DNA(adenina (A), timina (T), guanina (G) e citosina (C)).

Método para a transformação de bases
Método para a transformação de bases

Estes dados já convertidos são cedidos pela Microsoft para a Twist, que então sintetiza as moléculas para analise. A leitura é feita a partir do sequenciamento genético, que apresentam um custo razoável, algo próximo de US$1000, se comparado ao processo de sequenciamento do genoma humano realizado entre 1992 e 2003, custando US$3 Bilhões.

Mostrando-se promissor, o processo apresenta certos contratempos, como a grande dificuldade de reescrita dos dados, alto preço para codificação,armazenamento e impossibilidade de pesquisa nos arquivos (necessitando verificar cada base para achar algum arquivo em específico). Superando tais dificuldades, o método apresenta grande potencial, podendo significar mais um método revolucionário para o armazenamento de dados.

 

Para maires informações acesse: Gizmodo .

Microsoft realiza testes para armazenamento de dados em moléculas de DNA

Aluno do 2º ano de Engenharia da Computação e estagiário no Núcleo de Computação Embarcada da Universidade Positivo (NCE).

Classificado como:            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *