Buraco negro é simulado em laboratório

Os buracos negros estão entre os mais misteriosos fenômenos encontrados no universo, possuem uma atração gravitacional impressionante, da qual nem mesmo a luz pode escapar. Seu real funcionamento até hoje causa muitas dúvidas na comunidade científica, que ainda não encontrou uma prova concreta a respeito do processo de formação de um buraco negro.

A teoria de objetos extremamente massivos capazes de deformar o espaço e o tempo de forma que nem mesmo a luz pudesse escapar de tamanha força, foi inicialmente proposta pelo físico alemão Albert Einsten (1879 – 1955) quando desenvolveu a teoria da relatividade especial, a qual sugere que o espaço e o tempo não são estrutura independentes, como acreditava-se na mecânica clássica, mas sim estruturas intrinsecamente ligadas que dão origem ao tecido cósmico universal, quando um objeto provido de grande concentração de massa é inserido nesse tecido, o mesmo é deformado pela ação deste corpo atraindo para si tudo o que se encontra ao seu redor.

No ano de 1974 o físico inglês Stephen Hawking (1942), publicou um estudo que sugeriria que particular radioativas poderiam ser expelidas dos buracos negros, estas partículas radioativas receberam o nome de radiação Hawking. Contudo, estas partículas nunca foram realmente observadas, dada a tamanha dificuldade encontrada em observar as profundezas do espaço atrás de tais particular.

O pesquisador israelense Jeff Steinhauer, simulou os efeitos de um buraco negro em seu laboratório afim de averiguar a real possibilidade das partículas Hawking realmente existirem. Para isso ele incidiu um laser sobre átomos de rubídio que encontravam-se a uma temperatura próxima ao zero absoluto, no momento em que estas partículas eram atingidas pelo laser elas eram expelidas da câmara que simulava os efeitos gravitacionais de um buraco negro.

O estudo mostrou resultados promissores que dão maior credibilidade a teoria de Hawking, agora resta encontrar evidencias desta radiação orbitando um buraco negro para enfim comprovar a teoria.

Para mais informações, acesse: Popular Mechanics

Buraco negro é simulado em laboratório

Aluno do 4° ano de Engenharia da Computação da Universidade Positivo, estagiário no Núcleo de Computação Embarcada. Sócio fundador da empresa LEV3D.

Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *