Transistores de carbono prometem processadores mais poderosos

Os nanotubos de carbono representam uma grande esperança para a industria de semicondutores, uma vez que estes prometem maiores velocidades apresentando um menor consumo de energia. Além destes benefícios, a utilização de semicondutores construídos à partir de nanotubos de carbono podem representar o adiamento do processo de estagnação da tecnologia dos processadores, além de postergar a Lei de Moore.

Para a construção viável de semicondutores é necessária uma cristalização pura dos nanotubos. Nesta construção a pastilha foi construída de forma precisa a separar os polímeros e organiza-los de forma perfeita, além de ser conduzido sobre um grande aspirador para realizar a remoção de uma camada isolante, presente entre os transistores e os terminais necessários para sua ligação.

Como resultado foi obtido o primeiro processador de nanotubos de carbono capaz de superar um equivalente construído de silício. Apesar de o processo ainda ser inviável e necessitar de uma boa lapidação, a construção deste primeiro modelo possui grande representatividade na indústria. Agora é só uma questão de tempo para que processos mais simplificados sejam desenvolvidos, permitindo a chegada de processadores mais eficientes no mercado.

 

Para maiores informações acesse: Engadget

Transistores de carbono prometem processadores mais poderosos

Aluno do 2º ano de Engenharia da Computação e estagiário no Núcleo de Computação Embarcada da Universidade Positivo (NCE).

Classificado como:            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *