Novo sensor é capaz de identificar comida estragada em minutos

Quando há a existência de intoxicação pela comida, geralmente perde-se muito tempo para localizar a origem,  onde todo o processo de determinação do real problema, por exemplo em um surto, leva muito tempo. Todo o processo que vai desde a contaminação do paciente e seu adoecimento, que pode ocorrer após um certo período, até a visita à um médico e por fim uma análise laboratorial pode demorar até 3 semanas, no caso da bactéria E. Coli.. Este tempo é o suficiente para que as causas da intoxicação desapareçam.

koli-bacteria-123081_1280-1260x710

Como publicado na ACS Infectious Diseases, uma nova técnica que combina reação fluorescente e ressonância é capaz de determinar se um alimento está ou não contaminado em minutos. Utilizado inicialmente para detectar a presença da bactéria E. Coli., resultados preliminares são apresentados em apenas um minuto, enquanto sua conclusão é alcançada em até quinze minutos. Os pesquisadores mantém-se confiantes, acreditando que não haveriam dificuldades em calibrar o sensor para outras bactérias e até certos tipos de vírus.

Claramente este sensor não estará disponível tão cedo para o grande público, mas se este apresentar certa eficiência não será surpresa se versões portáteis surjam. Esta nova técnica pode possibilitar uma redução na intoxicação por alimentos, ou no mínimo rastrear o problema à tempo de impedir novos casos.

 

Para maiores informações acesse: Gizmodo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novo sensor é capaz de identificar comida estragada em minutos

Aluno do 2º ano de Engenharia da Computação e estagiário no Núcleo de Computação Embarcada da Universidade Positivo (NCE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *