Pesquisadores utilizam o corpo humano parar transmitir senhas de maneira wireless

As tecnologias wireless são muito convenientes, onde a grande maioria da população já utiliza das facilidades propostas pelas redes WiFi ou transmissão de dados via Bluetooth. Embora as facilidades, estes meios de transmissão podem não ser seguros, como já demonstrado em um estudo da Universidade de Princeton, onde dispositivos domésticos que à utilizam apresentaram severas falhas de segurança.

on-body-graphic

Diferentemente de outros estudos utilizando o corpo humano para transmitir dados que aproveitam do campo magnético por ele produzido, os pesquisadores  da Universidade de Washington conseguiram comunicar dois dispositivos utilizando o corpo humano como um condutor, onde os transmissores dos dados utilizados foram tanto um touchpad, como o leitor de digitais. No estágio atual de desenvolvimento, a comunicação é realizada à apenas 50 bits por segundo, obtida nos touchpads de notebooks e 25 bits por segundo em leitores de digitais. Para uma transmissão realmente efetiva é pouco, mas o suficiente para permitir a liberação de dispositivos que exigem senhas, como fechaduras eletrônicas e weareables.

A integração de dispositivos eletrônicos com o ser humano é cada vez mais notável, desde sensores para monitoramento do mesmo até dispositivos para sua manutenção, como marca-passos. Este novo meio de transmissão deve ser um facilitador para a comunicação desses dispositivos, onde com uma maior taxa de transmissão podem operar de forma mais eficiente, não sofrendo de possíveis interferências.

Para maiores informações acesse: Engadget

 

 

Pesquisadores utilizam o corpo humano parar transmitir senhas de maneira wireless

Aluno do 2º ano de Engenharia da Computação e estagiário no Núcleo de Computação Embarcada da Universidade Positivo (NCE).

Uma opinião sobre “Pesquisadores utilizam o corpo humano parar transmitir senhas de maneira wireless

  • 14 de fevereiro de 2017 em 15:48
    Permalink

    Incrivel como a tecnologia está avançando cada vez mais.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *