Estudantes criam ferramenta virtual para acabar com a cultura do desperdício de alimentos

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Enquanto quase 870 milhões de pessoas passam fome todos os dias no mundo, anualmente são desperdiçadas mais de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos, de acordo com dados do Relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). O desperdício provoca um alto custo social, econômico e ambiental para a humanidade. A produção da comida descartada consome 250 quilômetros cúbicos de água e ocupa 1,4 bilhão de hectares, um terço da terra cultivada do planeta. Também joga anualmente na atmosfera 3,3 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa, terceiro maior volume de emissões que causam o aquecimento global. 

Conscientes dessa realidade e da necessidade de acabar com a cultura do desperdício, estudantes do Centro Tecnológico Positivo desenvolveram o site “Mesus - melhor escolha sustentável”. Ao mesmo tempo em que contribui para reduzir o impacto negativo no meio ambiente, o portal colabora com projetos sociais de arrecadação e distribuição de alimentos descartados às pessoas que sofrem privações e fome. Muitas destas ações solidárias enfrentam problemas de logística, o que pode até inviabilizar a entrega das doações a quem precisa. 

Alexis Augusto Tirapelle, Bárbara Carolina Gonçalves da Silva, Caio Lúcio Ferreira Cascaes, Gabriel Cabral Antonio, Jodelly Juliana Maichszak, Marcelo Dias Fernandes, Piergiulho Motin Ziotkowski, acadêmicos dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Sistemas para Internet, Gastronomia e Gestão Financeira, estimam que a ferramenta tem condições de redistribuir cerca de 86 toneladas de alimentos desperdiçados por dia. Para integrar essa rede de solidariedade que o Mesus está organizando, basta fazer o cadastro no site. Qualquer cidadão ou entidade pode tornar-se um doador, mas apenas instituições que atendem a comunidades carentes com registro válido e legal estão aptas a receberem os alimentos. Cabe lembrar que a plataforma atua como um agente que conecta fornecedores de alimentos aos receptores, criando caminhos para reduzir as dificuldades no repasse de alimentos que acabariam no lixo. 

A estudante Jodelly Juliana Maichszak destaca que o desafio é identificar o receptor rapidamente para evitar essas perdas e informa que os estudantes pretendem lançar também o “Mesus” como aplicativo, para ampliar sua abrangência. Ela afirma ainda que a participação dos orientadores dos cursos, professores Emmanuel Alencar Furtado, Sandra Jussara Kuchnir e Vera Lucia Robles Ortega foi fundamental para o desenvolvimento e concretização do site. “A sinergia que eles tiveram para orientar um projeto multidisciplinar foi um fator extremamente relevante, tendo em vista áreas tão distintas unidas para concretizar nosso objetivo. Todo apoio e incentivo deles só nos fez crescer frente aos obstáculos que encontrávamos”.

O coordenador de Curso Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Sistemas para Internet e Jogos Digitais, Emmanuel Alencar Furtado, ressalta que o site desenvolvido pelos alunos de quatro cursos diferentes reforça que é necessário valorizar o conhecimento interdisciplinar e incentivar cada vez mais esse formato de trabalho. Assim, amplia-se a visão além dos muros dos cursos e abrange de maneira transversal as competências trabalhadas. “Enfim, mostra-se a capacidade dos alunos em formar equipes multidisciplinares e capazes de darem soluções inovadoras para o mercado e a sociedade”, avalia. A importância social do “Mesus” foi reconhecida pelo Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável, que consagra projetos inovadores e sustentáveis. O trabalho ficou em primeiro lugar na categoria Empreendedorismo Social, modalidade Graduação.