Projeto da Escola de Comunicação e Negócios contribui para desenvolvimento de Adrianópolis

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Uma iniciativa da Escola de Comunicação e Negócios da Universidade Positivo, por meio de parceria entre a UP e a Prefeitura da Adrianópolis, com apoio Editora Positivo, tem movimentado alunos, professores e coordenadores em projetos que beneficiam as comunidades carentes do município, que, com pouco mais de 6 mil habitantes, registra um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Paraná. A primeira ação aconteceu no dia 10 de setembro, com a visita do prefeito de Adrianópolis, Joel Manoel Pampinini, e a Secretaria de Educação e Cultura à UP, para uma reunião com os coordenadores dos cursos que integram a Escola de Comunicação e Negócios. Na ocasião, eles tiveram a oportunidade de conhecer o Núcleo de Estudo e Laboratório de Cidades, que estruturou o projeto pensado para Adrianópolis.

No dia 18 de setembro, foi a vez de a Escola de Comunicação e Negócios realizar uma expedição ao município, com o objetivo de explorar a realidade local. A equipe foi recebida pelo prefeito da cidade, João Manoel Pampanini, acompanhado dos secretários das áreas de Educação, Saúde, Assistência Social, Recursos Humanos, Agricultura e Meio Ambiente.  O encontro possibilitou a inicialização do diagnóstico das principais demandas e problemas enfrentados pela população de Adrianópolis. A partir dessa primeira conversa, passaram a ser realizados estudos a respeito da maneira como os negócios locais podem ser potencializados para contribuir para o desenvolvimento da comunidade, entre os quais a indústria cimenteira Supremo.

Além disso, essa viagem abriu espaço para o estabelecimento de planos de ação, a serem aplicados pelos coordenadores, professores e alunos dos cursos da Escola de Comunicação e Negócios. As propostas foram aprimoradas em uma reunião posterior na UP, com o prefeito, o procurador e membros das secretarias municipais de Adrianópolis. Desse encontro participaram também representantes dos cursos das áreas de Saúde, Engenharia, Meio Ambiente, Comunicação e Administração da UP e da Educação a Distância da Universidade Positivo e do Centro Tecnológico Positivo, que tiveram a oportunidade de apresentar e conhecer as ações que serão adotadas a imediato (até dezembro de 2014) curto (até dezembro de 2015) e a médio (até dezembro de 2016) prazos.

A primeira atividade prática aconteceu já nos dias 8 e 9 de novembro, quando alunos, ex-alunos e professores do curso de Jornalismo foram à Adrianópolis gravar um documentário sobre a cidade. A narrativa foi construída a partir do relato dos pioneiros do município e de moradores com mais de 70 anos, que guardam boas histórias para contar. Além disso, os estudantes ministraram uma oficina de Educomunicação para adolescentes de 13 a 15 anos. De acordo com Ana Carolina Kruger, aluna do 4º ano, a experiência foi significativa para sua formação como jornalista: “Essa aposta foi a que mais me rendeu até hoje, desde que entrei na universidade – nesses dois dias em Adrianópolis, aprendi o bem que faz sair da zona de conforto e pôr o pé na lama”. 

Já no dia 27 de novembro, foi a vez de 24 profissionais (gestores, coordenadores e professores) da Universidade Positivo e uma representante da Editora Positivo viajarem ao município, localizado na Região Metropolitana de Curitiba, para estabelecer contato com aspectos da realidade local, relacionando-os com suas respectivas áreas do conhecimento. E, na sequência das atividades do projeto em 2014, a UP recebeu, no dia 2 de dezembro, habitantes de Adrianópolis para atividades diferenciadas, entre as quais tratamento de canal na Clínica de Odontologia e participação na palestra “A escolha da carreira”, ministrada pela Central de Carreira para nove alunos e uma professora de Ensino Médio. Na ocasião, eles também conheceram a infraestrutura do câmpus, por meio de uma visita guiada. 

Conforme o cronograma do projeto, novas ações serão desenvolvidas em 2015, que englobam intervenções para a melhoria da saúde básica e preservação do meio ambiente – por meio da gestão de riscos e desastres e mitigação da poluição –, por exemplo. Além disso, pretende-se desenvolver análises de viabilidade econômica para empresas, palestras sobre pontos de venda e exposição de produtos, Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), ações pontuais nas áreas de Design, Gastronomia, Arquitetura, Engenharia e Comunicação e práticas por meio do Laboratório de Varejo, bem como implantar políticas de ensino diferenciadas, como o Sistema Aprende Brasil – projeto da Editora Positivo dirigido a alunos de Ensino Fundamental, que engloba material didático, ferramentas tecnológicas e capacitação de professores que utilizarão essa metodologia.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Estudo e Laboratório de Cidades, professora Elisabete Tieme Arazaki, a escolha de Adrianópolis como campo para a realização de projetos de desenvolvimento econômico e social se deve ao baixo IDH do município, que pertence à região mais pobre do estado – o Vale da Ribeira, localidade que apresenta passivo ambiental em função da exploração do chumbo décadas atrás (atualmente, essa região vivencia intervenção econômica, social e ambiental, devido à instalação de indústria cimenteira). Ela acredita que o projeto da Escola de Comunicação e Negócios, em conjunto com a Editora Positivo, representa grande importância tanto para a sociedade quanto para os envolvidos. “Além de propor o desenvolvimento econômico e social do município, as atividades promovem a integração dos alunos em diferentes áreas do conhecimento, vivenciando a essência e o desafio de cada curso por meio de ações interdisciplinares que impactam positivamente na região do Vale do Ribeira”, diz.