Nova ferramenta desenvolvida para detectar matéria escura – Engenharia da Computação

Nova ferramenta desenvolvida para detectar matéria escura

Um grupo de pesquisadores do MIT propuseram um novo meio de detectar a matéria escura, eles pretendem identificar a matéria escura através da simulação de uma estrela de nêutrons.

Utilizando os dados das pesquisas obtidas no Grande Colisor de Hadrons, os pesquisadores do MIT esperam encontrar às partículas hipotéticas chamadas Axions que teoricamente só podem ser detectadas na presença de um campo magnético muito intenso, desta forma a equipe pretende usar o acelerador de partículas para simular os efeitos de fortes campos magnéticos gerados por estrelas de nêutrons.

Os pesquisadores acreditam que o Axion é uma partícula capaz de remover o dipolo elétrico dos nêutrons, desta forma os pesquisadores poderiam detectar a mudança característica no comportamento dos nêutrons.

A matéria escura é um dos mais intrigantes fenômenos do universo, uma vez que ela é mais abundante que a matéria como conhecemos e ainda assim não é possível identifica-la por equipamentos tradicionais, sendo assim a simulação do seu comportamento é a melhor maneira de tentar entender o seu comportamento.

 

Para mais informações, acesse: Interesting Engineering

Nova ferramenta desenvolvida para detectar matéria escura

Aluno do 4° ano de Engenharia da Computação da Universidade Positivo, estagiário no Núcleo de Computação Embarcada. Sócio fundador da empresa LEV3D.

Classificado como:                

Uma opinião sobre “Nova ferramenta desenvolvida para detectar matéria escura

  • 14 de abril de 2017 em 22:32
    Permalink

    Acredito que a dificuldade de se encontrar partículas que seriam responsáveis pela matéria escura, reside no simples fato que todos os nossos instrumentos convencionais, de aceleradores de partículas bem com os detectores de germânio de Bauer, serem totalmente sem efeito, porque se fundamento pela colisão de partículas e seus efeitos, não será por aí a forma correta de identifica-los haja vista, a unica interação da matéria escura com a matéria convencional ser a gravitacional, assim, somente em um sistema de que possa identificar anomalias num curso de feixe optico poderia identificar barrigas no trajeto, e que deveriam descartar qualquer outro efeito gravitacional de qualquer outra origem.

    Resposta

Deixe uma resposta para Eduardo Fettuccia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *