Equity crowdfunding faz ideias saírem do papel

Brasil segue isolado na liderança em empreendedorismo e novos empreendedores recorrem ao investimento coletivo através da internet para viabilizar novos negócios.

Em tempos de crise, muitos são os brasileiros que após perder o emprego, decidem tirar uma ideia do papel e abrir o próprio negócio. Nove anos depois da criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, em 2006, o Brasil, segue, hoje, isolado na liderança em empreendedorismo, com o aumento de 23% para 34,5% de empreendedores em dez anos, segundo pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada no Brasil pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP).

Na complicada fase econômica que passamos, esses números são importantes para a nossa economia. O pequeno negócio é responsável por mais de 52% da geração de empregos formais e 40% da massa salarial no país. O número de brasileiros entre 18 e 64 anos que possuem empresa ou que estão abrindo uma é muito superior, quando comparado com outros países. Os Estados Unidos, por exemplo, têm 20% de empreendedores, o velho continente registra índices ainda menores, como Reino Unido (17%), Itália (8,6%) e França (8,1%).

Apesar dos números expressivos, muitos empreendedores sofrem para colocar sua empresa no mercado. Isso porque, apesar de ser um povo muito criativo, nem sempre o empreendedor brasileiro consegue o investimento financeiro necessário para abrir as portas do novo negócio. Muitos desses novos empreendedores estão recorrendo ao investimento coletivo, ou equity crowdfunding, que é a oferta pública de valores mobiliários que uma empresa disponibiliza para um grupo de investidores através da internet.

Com o objetivo de discutir e entender as inovações que ajudam no desenvolvimento das cidades inteligentes, o IV Fórum Internacional iCities, traz no início de dezembro para Curitiba o empresário Ricardo Politi, que é sócio da primeira plataforma de Equity Crowdfunding da América Latina. O Broota é uma plataforma de investimento coletivo que conecta investidores com empresas inovadoras.

Ao contrário do crowdfunding tradicional, em que a pessoa recebe brindes ou mesmo o produto como recompensa pelo capital aportado, no equity crowdfunding o investidor recebe, como contrapartida, uma participação acionária ou um título de dívida, que pode ser conversível em ações da empresa apoiada. Os investimentos nesse formato são realizados através de um Título de Dívida Conversível, que coloca o investidor num primeiro momento como credor de uma dívida, mas lhe dá a opção de converter essa dívida em participação da empresa investida, em situações previamente acordadas entre as partes.

Uma plataforma online que permite o contato direto entre empreendedores que buscam capital e pessoas que querem investir em projetos inovadores, é uma ferramenta muito importante para o desenvolvimento das smart cities, já que são de iniciativas assim que podem brotar negócios que salvem vidas, que tornem as pessoas melhores e que cuidem do planeta.

Serviço

IV Fórum Internacional iCities

Data: 03/12 (quinta-feira)

Horário: 8h às 19h

Local: Salão de Atos do Parque Barigui Alameda Ecologica Burle Marx, s/n

Santo Inácio – Curitiba – PR

Mais informações.

 

Sobre o evento

O Fórum Internacional iCities acontece desde 2012 com o objetivo de gerar conhecimento, lançar tendências e promover ações efetivas no segmento de Cidades Inteligentes. O evento, que se tornou um dos maiores da América Latina, apresenta tendências, cases, inspirações, produtos e serviços já implementados ou projetos em desenvolvimento. A edição 2015 conta com o patrocínio da Intertechne, Itaipu Binacional, Quiosque Natureza, Renault, Tecnisa e Universidade Positivo, além do apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba. 

 


Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *