Erick Jacquin e a mistura entre Brasil e França

Segundo o chef, as culturas gastronômicas dos dois países se complementam

Erick Jacquin é um chef difícil de satisfazer. Com seus comentários ácidos, ele conquistou fama no MasterChef Brasil – reality show de culinária brasileiro baseado no consagrado formato produzido em mais de 40 países. Mais do que famoso ele é um dos melhores chefs do mundo e o primeiro da América Latina a receber altíssima honraria de Maître Cuisinier de France.

O chef é francês, mas está há 22 anos no Brasil e já foi consultor de diversos restaurantes em São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Manaus. Teve um restaurante próprio em São Paulo, chamado La Brasserie, mas fechou as portas em 2013. Atualmente, o cardápio do restaurante Le Bife é assinado por ele, no mesmo local.

Os biquinhos, o sotaque e o jeito de cozinhar continuam bem franceses, mas sua culinária é muito brasileira. “A cultura gastronômica de um país é a cozinha regional. Por isso, o Brasil precisa reconhecer seus próprios produtos em vez de buscar fora. Quanto mais conheço as regiões brasileiras, mais agrego valor ao meu trabalho”, afirma Jacquin.

A culinária francesa, considerada uma das melhores do mundo, serve como influência na maioria dos melhores restaurantes brasileiros. “A história da França com a monarquia favoreceu muito a evolução da gastronomia. Já o clima brasileiro, com quatro estações diferentes, dá oportunidade de ter ingredientes sazonais, fator que a França não tem”, compara o chef.

A influência francesa no Brasil aconteceu por meio da colonização portuguesa, principalmente em relação aos hábitos alimentares e à sistematização dos jantares. A sofisticação, o uso do menu antes das refeições, os brindes com champanhe em comemorações e a representação do alto status ao promover banquetes à moda francesa são alguns dos exemplos que mudaram a maneira do brasileiro fazer suas refeições.

Dentre suflês, pratos gratinados, patês, profiteroles, croissants, queijos e crepes, a culinária francesa se mistura com a brasileira e se torna parte do dia a dia. Isso é muito bem visto por Erick Jacquin. “O Brasil tem tudo para ter bons restaurantes, com bons produtos, clientes e profissionais talentosos. Independentemente da situação atual econômica e política brasileira, tenho certeza que o investimento nessa área é promissor”, afirma o francês.

jacquin 2

Crédito: divulgação/assessoria

Chef Otávio de Brito, criador do projeto Mercado das Capitais entrevistou Erick Jacquin para o Blog da Pós.


Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *