Formação de plateia e etiqueta para concertos

Apresentações de música clássica exigem peculiaridades de comportamento do público

Celular tocando alto, tosses, conversas, espirros e aplausos em momentos inadequados. Esses são alguns dos exemplos de gafes que as plateias cometem em shows, concertos e óperas, entre outros. “As gafes existem pois há falta de informação. Mas isso é algo fácil de contornar”, afirma Liana Justus, professora de Formação de Plateias, da UP Maturidade, e coautora de 11 livros sobre o tema.

Quando uma orquestra está tocando, a interação entre os instrumentos é cheia de detalhes. Por isso, a plateia deve acompanhar todos os movimentos para ter bom aproveitamento do espetáculo. “Todas as conversas musicais são coordenadas e dirigidas pelo maestro. Observar esse comando e prestar atenção em silêncio faz com que os detalhes sejam ainda mais interessantes. A concentração nos leva a apreciar e absorver mais a música”, explica Justus. “A música clássica envolve dois universos fantásticos: o sinfônico – instrumentos musicais e a ópera – as vozes. Cada um desses universos possui etiquetas de comportamento próprias”, completa.

A etiqueta é mais exigida em concertos de música clássica, orquestras e óperas do que em shows comuns, e, mesmo com o público sendo mais enxuto em espetáculos mais formais, há uma procura grande por esse tipo de entretenimento. Com 22 anos acompanhando esse universo musical, Liana Justus percebe essa mudança: “A música clássica teve e está tendo um progresso e desenvolvimento incríveis. Os teatros estão sempre cheios, um público jovem está frequentando-os de forma assídua”, diz.

Curitiba é um bom exemplo para isso. A Orquestra Sinfônica tem prestígio nacional e faz apresentações regulares no Teatro Guaíra. “Temos também a Camerata Antiqua, com sede própria na Capela Santa Maria, com concertos regulares e sempre lotados; temos dois teatros na Universidade Positivo, com apresentações internacionais de orquestras e cantores líricos. Além disso, ainda temos uma variedade de apresentações em museus e casas de cultura. Curitiba é uma cidade que oferece uma vida cultural bem intensa”, observa a musicista.

“As peculiaridades de uma plateia de música clássica estão no fato de que a plateia tem que estar sintonizada com o que ocorre no palco, ligada na atuação do maestro, nos diálogos musicais entre os instrumentos e nos solos. No caso da ópera, conhecer a história que está sendo contada, perceber nos duetos quando os cantores cantam músicas e textos diferentes simultaneamente. Dessa maneira, a concentração e atenção vem de forma natural. Para isso, são necessárias informações culturais que ajudarão muito”, informa Justus. Ainda segundo a especialista, é nítida a conscientização do público brasileiro nas plateias pelo país, que se se deve pelo aumento de interesse sobre o assunto.

Para a UP Maturidade, os conhecimentos para etiqueta de plateia é apenas um dos benefícios para os alunos. “O curso de Formação de Plateia da UP Maturidade é de suma importância, pois abrange vários fatores: primeiro, motivar os participantes a assistir concertos e desfrutar do que a cidade oferece de melhor em artes musicais. Segundo, o convívio constante com a música proporciona sintonia com uma variedade de sentimentos e emoções, de maneira natural e espontânea, como energia, alegria e aumento da autoestima. Além disso, desenvolve a concentração, a memória e o desenvolvimento do raciocínio”, afirma a Justus.

 

LIANA JUSTUS

Mestre em História pela Universidade Federal do Paraná, Especialista em História da Música pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Licenciada em Educação Musical. Curso Superior de Piano. Palestrante e Pesquisadora.

Coautora dos livros:

  • Formação de Plateia em Música-cultura musical para todos, acompanhado de CDROM, em sua 3ª edição pela Editora Saraiva.
  • Catálogo Temático do compositor paranaense Henrique de Curitiba, acompanhado de CD. Esta obra encontra-se na Biblioteca Nacional de Washington e na biblioteca da Julliard School em Nova Iorque
  • Desvendando a Orquestra-formando plateias do futuro, acompanhado de CDROM, pela Editora Expoente, finalista do Prêmio Jabuti de 2008.
  • Coleção com dois volumes: A História da Música e sua relação com as outras artes e Os Instrumentos Musicais, dirigido a professores e alunos do ensino fundamental e médio, acompanhados de CD, pela Editora Expoente, finalista do Prêmio Jabuti 2011.
  • Orquestra-Histórico, Regência, Instrumentos, acompanhado de CD, pela Editora Solar do Rosário.
  • Orquestra-Perguntas e Respostas, acompanhado de CD.
  • Desvendando a Banda e a Fanfarra, pela Editora Formato, do Grupo Saraiva.
  • Desvendando o Canto Coral, pela Editora Formato, do Grupo Saraiva.
  • Conhecendo a Orquestra e o Maestro, pela Editora Mundo Mirim.

 


Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *