Lançamento oficial do Street Fighter V ocorre em Curitiba

O evento contou com a presença do campeão mundial, Keoma Pacheco, que é brasileiro

No dia 18 de fevereiro, quinta-feira, o houve o lançamento nacional do jogo Street Fighter V. A Pós-Graduação da Universidade Positivo apoiou o evento de lançamento em Curitiba, que aconteceu simultaneamente com a estreia em São Paulo. O evento curitibano, realizado na livraria Fnac, no ParkShopping Barigui, contou com a presença de Keoma Pacheco, campeão mundial de Ultra Street Fighter IV. O jogador falou sobre suas expectativas para o novo jogo e compartilhou seus métodos de treinamento para o torneio Brasil Game Show. Pacheco ainda jogou contra adversários amadores.

keoma jogando 2

Para Pacheco, o interesse por games vem crescendo no país, e isso melhora vários aspectos da indústria do entretenimento. “Os próprios desenvolvedores dos jogos, por exemplo, do Street Fighter V, aproveitam a opinião dos fãs que jogam desde quando o primeiro jogo da franquia foi lançado. Eles aprimoram o game de acordo com a vontade do público e levam em consideração o feedback dos apreciadores”, observa.

Quando se lança uma atualização de um jogo famoso e com um número amplo de seguidores, enfrenta-se um grande desafio: não basta tentar conquistar novos fãs – há a necessidade de agradar a enorme comunidade de jogadores casuais e competitivos que já conhecem a série. “O novo jogo é muito bem recebido, pois todos partem do zero. Ninguém sabe o que irá aparecer de diferente, o que aumenta as expectativas do cenário competitivo”, explica Pacheco.

“O bom jogo é aquele que é fácil de ser entendido por jogadores amadores, mas que consegue intrigar aqueles que se interessam pelos detalhes. Foi assim que comecei a minha carreira profissional com o Street Fighter IV: quis descobrir o que mais era possível fazer em um jogo de luta, entender a parte técnica como um todo. Além disso, é da minha personalidade não aceitar perder, o que me torna um bom competidor”, complementa o jogador profissional.

Keoma Pacheco diz que já teve vontade de produzir os próprios jogos, mas acredita não ter criatividade suficiente para isso. Ainda assim, incentiva e acha interessante iniciativas como a da Universidade Positivo, que oferece os cursos de Pós-Graduação em Aplicativos em Jogos Digitais. As duas modalidades desse curso, Linha Game Design/Arte e Linha Game Design/Programação, oferecem a oportunidade para entusiastas de games fazerem jogos de acordo com suas vontades e gostos, aumentando assim a relevância da produção de games no Brasil.

keoma 2

 


Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *