5 passos para você começar a sua startup

Veja algumas dicas para colocar sua ideia em prática

Atualmente, muito se fala de startups: iniciativas que têm o objetivo de aplicar novas ideias e soluções para sanar problemas ou necessidades das pessoas em geral. Em essência, uma startup tem o intuito de ter grande crescimento e ser um modelo inovador.

Bobby Amiri, diretor da aceleradora americana GSVlabs, do Vale do Silício, esteve na Universidade Positivo e afirmou que “o momento de crise no Brasil é uma oportunidade para investir em inovação. Empresas como a Uber e Airbnb foram formadas durante o período em que EUA estavam em recessão em 2008 e 2009 e agora valem bilhões de dólares. Realmente, é hora de investir e focar em inovação para ajudar a levantar a economia para fora da crise”.

E para se ter sucesso com uma startup, é preciso planejamento sólido, que contempla noções de custos e faturamento. Porém, recomenda-se não lhes dar prioridade no início, e sim ao modelo de negócio – que deve ser viável e útil para a sociedade. O início é o momento para traçar objetivos e prever problemas futuros.

Planejamento, hipóteses, troca de ideias, validação, escalabilidade, foco em gestão empreendedora e visão estratégica são questões fundamentais para o lançamento de uma startup. “Um dos principais conselhos para começar uma startup é ter uma equipe pequena com pessoas-chave, especialistas em diferentes áreas que se complementem”, explica.  “É importante você se cercar de pessoas mais inteligentes que você, com habilidades que possam acrescentar conhecimento para você e para sua ideia inovadora”, complementa, Bobby Amiri.

Algumas dicas são fundamentais para se iniciar uma startup. Confira o passo a passo a ser seguido:

  1. Critique sua ideia

A startup nasce de uma ideia, e é óbvio que a pessoa que teve a ideia e todos os envolvidos para o desenvolvimento dela acreditam que ela dará certo. Mas como precaução é muito interessante que o primeiro passo para empreender seja criticar a ideia. É aconselhável fazer um resumo da intenção e da motivação para criar a startup. Colocar no papel mesmo, assim fica mais fácil ter noção do todo e começar a ver em pequenos pedaços o que pode dar errado.

O público-alvo precisa estar bem definido, pois todo o trabalho deve ser executado em benefício dele. Saber por qual motivo as pessoas passarão a adquirir o produto ou serviço, o que vai mudar na vida delas, o que as farão comprar novamente.

Você pode listar de três a cinco principais funcionalidades do produto/serviço e com isso ter uma visão mais clara de suas utilidades e mudanças provocadas por ele na vida dos consumidores.

Assim também será mais fácil dar um valor (de produção e de venda) para o produto/serviço. O cálculo dará uma boa noção se precisará aumentar a receita, quais ganhos são esperados, quais custos devem ser reduzidos e quais áreas deverão receber investimentos.

  1. Seja flexível

Depois de pensar em todos os prós e contras, fazer pesquisas com o público-alvo e identificar as limitações, você poderá perceber que nem todas as ideias originais deverão ser mantidas e até mesmo aquelas que você tinha mais gostado não darão certo. Desapegue! É importante ser flexível e estar aberto aos imprevistos e às mudanças que ocorrerão no caminho.

  1. Seja persistente

Ao mesmo tempo em que é importante ser flexível e entender que algumas ideias não darão certo da maneira como era esperada, também vale a pena persistir naquelas em que você acredita e não teve comprovação de que dará errado. Algumas vezes você implementará ações que falharão, porém, depois de insistir algumas vezes, ela poderá funcionar! Quem está disposto a fazer sua startup dar certo precisará saber lidar com as frustrações e planos mal sucedidos, e isso significa que não se pode desistir com qualquer erro ou decepção.

  1. Invista em comunicação

Sim, comunicação é fundamental. É repetitivo e pode parecer até básico. Mas sem a comunicação adequada nenhuma empresa prospera. E isso inclui a divulgação da marca e a comunicação interna (entre os integrantes do projeto).

A comunicação interna é a primeira a ser delimitada. A hierarquia precisa ser conhecida por todos e o perfil do líder, bem definido. Usualmente, startups funcionam de maneira mais informal, o que estimula a manifestação de ideias de todos os participantes. Mas os meios de comunicação entre todos eles devem ser bem acessíveis e o conhecimento de cada linha de trabalho, conhecido por todos.

Já a divulgação da marca começa em um período em que as primeiras estratégias já estão bem definidas – cada um sabe bem seu papel e o passo a passo para concretizar o produto ou serviço. A partir disso, quando se tem o interesse em captar investidores, é imprescindível a exposição na mídia. E isso também precisa ser bem estudado e trabalhado pelos membros. Saber em quais meios de comunicação divulgar, com qual linguagem e periodicidade trabalhar, quais artifícios utilizar etc.

  1. Busque investidores

A regra básica é: antes de buscar investidores, a startup já deve ter resultados. O que é muito valorizado, por parte dos investidores, é a capacidade de mostrar resultados sem muitos recursos.

O que ajuda nesse quesito é a rede de contatos. Conselheiros e mentores estão inclusos nesses exemplos, nomes de impacto envolvidos no processo podem fazer grande diferença para a imagem, assim como para as próprias ações que serão aplicadas.

“Os investidores buscam mais do que um bom produto: buscam uma ótima equipe. Uma boa equipe é a que falha e tenta de novo, insiste. A Airbnb, por exemplo, começou com um produto que não é o que eles têm hoje. O mesmo aconteceu com o Facebook. Eles começaram como um site para manter contato com os amigos e se tornaram uma assinatura digital, voltaram sua identidade on-line para uma direção diferente. Isso é o que as boas empresas fazem, mas tudo começa com a equipe. Então procura-se um bom time para ajudar a liderar a empresa”, explica Amiri.

 

Bobby Amiri, diretor de negócios globais na GSVlabs, do Vale do Silício.


Postado por Betina Dias Ferreira

62 comentários sobre “5 passos para você começar a sua startup

  1. Miguel Leme disse:

    Betina, vocês tem algum material ou dica de como ou qual o melhor jeito de fazer o primeiro contato com investidores? Eu tenho um bom projeto de uma startup, mas já tentei dar alguns passos para conseguir investidores e até o momento, não consegui despertar o interesse de investidores.

    Desde já agradeço
    Abraços,
    Miguel

  2. Viva disse:

    Muito legal, e mesmo em tempos de crise temos muitas oportunidades para inovar, trabalhar e crescer. Quando nosso projeto visa ajudar outras pessoas e nos empenhamos nisso, os bons resultados são naturais e vale muito a pena!

  3. Jerry Costa disse:

    “A comunicação interna é a primeira a ser delimitada. A hierarquia precisa ser conhecida por todos e o perfil do líder, bem definido. Usualmente, startups funcionam de maneira mais informal, o que estimula a manifestação de ideias de todos os participantes. Mas os meios de comunicação entre todos eles devem ser bem acessíveis e o conhecimento de cada linha de trabalho, conhecido por todos.”

    Verdade, esse ponto é de extrema importância!

  4. Filipe disse:

    Acredito que estes 5 passos relatados aqui neste artigo são fundamentais para quem deseja iniciar uma startup, e por sinal estes 5 passos foram muito bem exemplificados. Excelente artigo.

  5. Andre disse:

    Muito esclarecedor! Acho que é muito comum começar anchando que a ideia da startup é muito boa, é preciso ser crítico e consciente no início, caso contrário tudo pode acabar se tornando uma grande perda de tempo. A flexibilidade e a persistência são essenciais pois os resultados podem demorar um pouco para aparecer.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *