Teste de software – Por Eliane Borges Vaz

Mercado em franca expansão no Brasil e no mundo

Qualidade e confiabilidade estão ganhando atenção da indústria de software que está buscando a redução de erros, mais segurança e mais performance para seus produtos.  Novas tecnologias representam novos desafios para os testadores enquanto as organizações, cada vez mais digitais, têm como objetivo a simplicidade, a escalabilidade e a velocidade.

Esse é um mercado em franca expansão no Brasil e no mundo, e carente de profissionais com formação adequada. A Profª. Eliane Borges Vaz, especialista em metodologias ágeis e gestão da inovação, conta um pouco sobre os aspectos gerais do processo de testes de software:

 

Teste de software é mais que uma ação é um processo que deve ser realizado durante todo o ciclo de vida para o desenvolvimento de software. A definição dos testes, incluindo especificação e design de requisitos, no início do ciclo, pode prevenir que erros sejam introduzidos no código.

O processo de verificação inclui testes estáticos como revisão de documentação, passo a passo no processo e inspeções.  Os testes dinâmicos incluem testes unitários, testes de integração e testes de sistema.

Mas qual o objetivo dos testes? Em primeiro lugar, garantir que o software construído atende aos requisitos de negócios e técnicos definidos e funciona conforme o esperado, atendendo às necessidades do usuário, inclusive em relação à usabilidade.

Por que investir em testes? Porque não somos infalíveis. Erros podem ocorrer nas diversas fases do desenvolvimento e defeitos serão gerados. Esses erros podem afetar a confiança do cliente na qualidade do produto. Quanto mais cedo o erro e/ou defeito for identificado, menor será o custo para realizar os acertos necessários. Para que uma empresa de software se mantenha viva no mercado é necessário diminuir os custos com a manutenção do software e aumentar a entrega de resultados mais consistentes, acurados e confiáveis.

Existe uma demanda crescente por “bons testadores de software”. Mas, o que isso significa? Para começar, empatia! É necessário olhar sob o ponto de vista do cliente e enxergar além do que está explicitado nos requisitos. Entender o feedback do cliente, os resultados dos testes para analisar comportamentos e criar soluções de teste inteligentes. Curiosidade e pró-atividade ajudam a descobrir os problemas o mais cedo possível, a melhorar o produto e a aprender sempre mais sobre a tecnologia envolvida e o domínio da aplicação do cliente, suas terminologias e cenários.

No curso de Pós-Graduação em Testes de Software o profissional é preparado para lidar com os novos desafios, tratando todas as fases do processo de testes e apresentando técnicas, práticas e ferramentas que serão essenciais em seu dia a dia.


Um comentário sobre “Teste de software – Por Eliane Borges Vaz

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *