Sobre


Tema Central: Soluções Naturais e Comunitárias para o Clima na Conservação de Florestas Tropicais da América Latina

 

A degradação do ecossistema e a perda de biodiversidade na América do Sul como na Amazônia estão reduzindo suas capacidades naturais de captura de carbono e alterando suas funções ecológicas críticas, tanto que as florestas tropicais enfrentam “pontos de inflexão”. Esses ciclos de feedback desencadeantes degradam as estruturas e funções ecológicas das florestas tropicais, reduzindo suas habilidades de sequestro de carbono e levando-as à “savanização”.

 

Soluções eficazes transformam o paradigma de conservação atual, demonstrando o maior valor das florestas em pé versus projetos de desenvolvimento tradicionais que resultam na conversão de florestas em outros usos da terra. Tais soluções envolvem engajar e capacitar comunidades locais que possuem imenso conhecimento local e tradicional sobre esses ecossistemas. Essas soluções também envolvem a combinação de conhecimentos tradicionais com novas tecnologias e métodos de processamento de dados, facilitando o acesso das comunidades locais à economia digital e aumentando sua capacidade de proteger suas terras.

 

A bioeconomia está surgindo como um modelo alternativo de desenvolvimento sustentável para regiões tropicais que pode reduzir a perda de biodiversidade. Essa transformação no paradigma da conservação exige inovações nas políticas públicas e estratégias, desde as arenas locais até as internacionais, para apoiar os esforços de conservação, a entrada das empresas de bioeconomia nos mercados mundiais e promover o desenvolvimento sustentável.

 

Reconhecemos que esses desafios enfrentados pelos ecossistemas tropicais diante das mudanças climáticas exigem soluções verdadeiramente interdisciplinares e inovadoras, por isso acolhemos pesquisas, produtos e contribuições daqueles ativamente envolvidos na busca por soluções sustentáveis para o planeta e para as pessoas.

 

Objetivo: O objetivo geral do simpósio é fornecer um espaço para instituições de pesquisa, universidades, ONGs, agências governamentais, organizações comunitárias e empresas de todo o mundo com a oportunidade de apresentar suas pesquisas e produtos, participar de diálogos para promover novas colaborações e parcerias e fornecer recomendações operacionalizáveis ​​por meio de uma declaração de conferência.

Realização


Universidade Positivo (UP)

A Universidade Positivo é referência em instituições de ensino superior no estado do Paraná e no Brasil por mais de três décadas. Atualmente, oferece mais de 50 programas de graduação, mais de uma centena de programas de especialização e MBA, cinco programas de mestrado e quatro programas de doutorado. Em 2019, a Universidade Positivo foi classificada entre as 100 melhores instituições no ranking mundial de sustentabilidade Universitas Indonesia GreenMetric. A Universidade Positivo faz parte do grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos maiores do país.

 

Centro de Pesquisa de Universidade Positivo (CPUP)

Fundado para desenvolver projetos nas áreas de meio ambiente, biologia e saúde, teve abertura oficial no ano de 2013, reflexo das pesquisas de Iniciação Científica e Tecnológica desenvolvidas nos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Positivo. Por provir de uma instituição de destaque no ramo educacional, como contribuição da instituição proponente destaca-se a divulgação científica, difusão do conhecimento por meio de um relacionamento com a comunidade.

 

Programa de Pós-Graduação em Gestão Ambiental (PPGAMB)

PPGAMB da UP, por meio de seus cursos de Mestrado e Doutorado, visa a complementar a formação de uma vasta gama de profissionais, transformando-os em especialistas em Meio Ambiente, por meio da realização de pesquisa aplicada para a solução de problemas ambientais.

 

Massachusetts Institute of Technology Environmental Solutions Initiative (MIT ESI)

Fundada em 2014, a Environmental Solutions Initiative é o esforço de todo o instituto do MIT para mobilizar a substancial capacidade científica, de engenharia, política e design de nossa comunidade para contribuir para enfrentar as mudanças climáticas e outros desafios ambientais de importância global. Buscamos pesquisas multidisciplinares, educação, eventos e parcerias para ajudar a mover a sociedade em direção a um futuro ambiental e socialmente sustentável.

Programação


4 de Dezembro de 2022

Visita Técnica (restrita para convidados) – Área na Mata Atlântica

 

5 de Dezembro de 2022 – Política Participativa e Tomada de Decisão para Aumentar a Proteção Florestal diante da Ameaça das Mudanças Climáticas

 

Com: John E. Fernandez, Diretor, MIT ESI (confirmado)

 

Sessão  I – Governança para a Conservação de Ecossistemas Transfronteiriços

 

Sessão II – O Papel de Empoderamento Comunitário para Gestão Ambiental

 

6 de Dezembro de 2022 – Transformando o Paradigma de Desenvolvimento através da Inovação Tecnológica, da Bioeconomia e do Planejamento Urbano

 

Com: Luis Gilberto Murillo-Urrutia, ex-Ministro do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Colômbia (convidado)

 

Sessão III – Monitoramento para Apoiar a Conservação, a Gestão de Recursos Naturais e o Bem-Estar de Populações

 

Sessão IV – Bioeconomia como Modelos de Desenvolvimento Sustentável em Áreas Bioculturalmente Diversas e Ecologicamente Sensíveis

 

Sessão V – Planejamento Urbano para Assentamentos Humanos em Regiões Ricas em Carbono e Ecologicamente Sensíveis

 

Dia 4

7 de Dezembro de 2022

Mesa Redonda com Patrocinadores (restrita para convidados)

 

 

Localização


O Simpósio acontece de forma híbrida, na Universidade Positivo, Campus Ecoville e de forma online.

 

Universidade Positivo

Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300

Curitiba – PR, 81280-330

 

Curitiba, Brasil

 

Curitiba é a capital do estado do Paraná e tem sido consistentemente classificada como uma das cidades mais sustentáveis e inteligentes da América Latina, reconhecida por seu planejamento urbano.

 

Curitiba também é conhecida pela beleza do paisagismo disponibilizado ao público, gratuitamente, com algumas das maiores proporções de espaços verdes para espaços cinzas do mundo. São 28 parques e 15 matas, com vegetação formada por trechos de Mata Atlântica, que incluem fauna silvestre diversificada, lagos, nascentes e cachoeiras. Estes são administrados pela Secretaria de Parques e Praças de Curitiba.

 

 

Comissões


Comitê Científico

 

Alessandra Fabbri (MIT ESI)

Prof. Alexandre Nicoletti Hedlund (UP PPGAmb)

Prof. Alysson Diógenes Nunes (UP PPGAmb)

Prof. Cíntia Mara Ribas de Oliveira (Vice-Coordenadora – UP PPGAmb) (Presidente do Comitê Científico)

Profa. Clarissa Bueno Wandscheer (UP PPGAmb e UP PPGD)

Prof. Cleonir Tumelero (UP PPGAmb e PPGA)

Profa. Danielle Denes dos Santos (UP PPGAmb e PPGA)

Profa. Gisela Geraldine Castilho Westphal (UP PPGAmb)

Prof. John E. Fernández, Director (MIT ESI)

Prof. John James Loomis (UP PPGAmb) (Vice-Presidente do Comitê Científico)

Marcela Angel, Research Program Director (MIT ESI)

Prof. Marcelo Limont (UP PPGAmb)

Prof. Marcello Romani Dias (UP PPGAmb e PPGA)

Prof. Mario Michaliszyn, Coordenador (UP PPGAmb)

Prof. Rivail Vanin de Andrade (UP PPGAmb)

Prof. Rodolfo Marques Sastre (UP PPGAmb)

 

Comissão Organizadora

 

Alessandra Fabbri (MIT ESI)

Prof. Alexandre Nicoletti Hedlund (UP PPGAmb)

Prof. Alysson Diógenes Nunes (UP PPGAmb)

Prof. Cíntia Mara Ribas de Oliveira, Vice Coordenadora (UP PPGAmb) (Presidente da Comissão Organizadora)

Prof. John E. Fernández, Director (MIT ESI)

Prof. John James Loomis (UP PPGAmb) (Vice-Presidente da Comissão Organizadora)

Marcela Angel, Research Program Director (MIT ESI)

Prof. Marcelo Limont (UP PPGAmb)

Prof. Mario Michaliszyn, Coordenador (UP PPGAmb)

Prof. Rodolfo Marques Sastre (UP PPGAmb)

Prof. Roberto di Benedetto (Reitor da Universidade Positivo, Representante do CPUP)

 

Inscrição


Inscrição

 

Prazos:

 

 

-03 de outubro – Abertura das Inscrições e
Submissões de Resumos;
-21 de outubro – Prazo Final para
Submissões de Resumos;
-28 de outubro – Anúncio dos Resumos
Aprovados para o Evento;

-7 de novembro – Prazo para Inscrições com
Desconto;

 

Informações: ambiental@up.edu.br

 

 

 

Temas


– Bioeconomia em Países Tropicais
– Economia Circular
– Gestão Ambiental e Mudanças Climáticas
– Análises Ambientais
– Proteção Florestal e Mudanças Climáticas
– Governança para a Conservação de Ecossistemas Transfronteiriços
– Financiamento Verde e Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG)
– Saúde Única
– Políticas Públicas e Práticas Ambientais
– O Papel  do Empoderamento de Comunidades na Gestão Ambiental
– Planejamento Urbano em Regiões Ricas em Carbono e Ecologicamente Sensíveis

Palestrantes


John E. Fernandez, Director MIT ESI

Bio

 

 

Cíntia Mara Ribas de Oliveira, UP PPGAmb

Presidente do 4ºSIMGAMC

Bio

 

John James Loomis, UP PPGAmb

Vice-Presidente do 4ºSIMGAMC

Bio

 

 

Adalberto Luis Val, INPA


Bio

 

Alessandra Fabbri, MIT ESI


Bio

 

Alexandre Hedlund, UP PPGAmb

Bio

 

Alysson Nunes Diógenes, UP PPGAmb


Bio

 

Gabriella Carolini, MIT Department of Urban Studies and Planning (DUSP)


Bio

 

 

 

Luiz Eduardo Oliveira e Cruz de Aragão, INPE

Bio

 

Luz Marina Mantilla, Instituto SINCHI

Bio

 

Marcela Angel, Research Program Director MIT ESI

Bio

 

Marcelo Limont, UP PPGAmb

Bio

 

María del Carmen Ruiz-Jaén, FAO REDD+ Latin America

Bio

 

Maria Thereza Uille Gomes, UP PPGD

Bio

 

Maria Angelica Mejia Mejia (IAvH)

Bio

 

Mario Sergio Michaliszyn (UP PPGAmb)

Bio

 

Natalia Mosquera, MIT Community Innovators Lab

Bio

Parceiros